segunda-feira, 29 de abril de 2013

GENTE COMO A GENTE DEBORA "BINHUXA"




Quando eu recebi as fotos da Débora, eu não sabia qual montagem por rs. Por isso resolvi colocar várias, porque a transformação dela foi impressionante! Mais um caso de mãe, que por um tempo deixou de cuidar, abdicou da vida em função do filho e que percebeu que além de mãe, era ainda mulher,esposa,profissional! História que emociona pela força de vontade!


"Eu não posso afirmar, mas acredito que seja um pouco diferente as sensações com relação as mudanças no corpo de quem um dia já foi magra, malhada, toda boazuda e uma hora se viu no espelho com 80 kg e um manequim 46 quem sempre foi gordinha, cheinha e vive no efeito sanfona.

Meu caso é o primeiro.

Dos meus 17 até 26 anos, sempre tive um corpo considerado como chamativo pela sociedade de hoje. Sempre tive bundão, peitão e quase não tinha barriga.

Às vezes ficava um pouquinho acima do peso mas o acima era manequim no máximo 42.

Quando engravidei estava com corpão pois tinha feito uma hidrolipo, um procedimento não invasivo para diminuir gordurinhas indesejadas para quem tem preguiça de malhar como eu.

A hidrolipo é ótima, mas só para quem tem apenas poucas gorduras localizadas, para pessoas gordinhas não adianta nada, poura enganação.

Na gravidez ganhei apenas 15 kg o que é considerado normal e nos primeiros 3 meses emagreci pois amamentava muito e aí dei aquela secada básica.

Porém, quando decidi abandonar meu trabalho de 8 anos em uma empresa para me dedicar 100% ao meu filho é que as coisas começaram a mudar. Uma decisão difícil de ser tomada, uma situação que várias mulheres vivem, um verdadeiro dilema.

Trabalhar e ganhar dinheiro no mundo corporativo ou ser mãe, dona de casa e ser vista pelos outros como “sustentada” pelo marido.

Sempre trabalhei desde os meus 17 anos e sempre tive as minhas coisinhas, meu din din que nem era muito, mas era meu, só meu.

O primeiro ano sem trabalho me renderam 13 kg a mais.

Eu estava tão feliz em ser mãe, estava tão realizada com meu filho que realmente toda aquela minha vaidade, importância com o corpo não me importava.

Quando a gente tem filho nossas prioridades mudam completamente, a vida toma um outro sentido.

Minha prioridade não era mais eu, as roupas que eu comprava, a massagem que eu fazia para tirar celulite. Minha prioridade era meu filho.

Engordei inconsciente porém consciente do que ia acontecer com o meu relaxamento.

Ficava em casa, cuidava do meu baby, comia, comia e comia para preencher as lacunas de ansiedade.

Passado o primeiro ano do meu filho comecei a notar que algo estava errado comigo e que eu não gostava mais de tirar fotos, coisa que eu amooooo fazer, não ficava horas me arrumando na frente do espelho...percebi que não estava gostando do que eu via ali refletido.

Um dia abri minha gaveta de calcinha e fiquei olhando para aqueles sutiãs “begiiiiiiiiiiiiiiii”, calçolas para comprimir toda sua gordura que Tb eram “begiiiiiiiiiiiiiiiiiii” e me dei conta de que aquilo não era eu.

Via no rosto das pessoas o espanto toda vez que me encontravam !!

Meu marido que eu chamo de ogrinho verde claro, nesse ponto nunca me colocou para baixo. Ele sempre me dizia que era uma fase pós gravidez e que meu corpo ia voltar.

Mas eu não me ajudava e cada vez comia mais e mais.

Pois bem, em 3 anos 25 kg acumulados, um manequim 46 e as pessoas chocadas com a minha transformação.

A loira boazuda tinha virado uma gorducha !

Montei meu negócio, comecei a trabalhar em casa. Hoje tenho um serviço de entrega e montagem de mesa de frios, escolhi trabalhar com delícias de dar água na boca.

Um dia então, encontrei uma colega que não via a muito tempo e ela me perguntou se eu estava grávida de novo. Oiiiiiiiii ????!!!

Esse foi o boom para eu mudar alguma coisa, tinha que fazer por questão de saúde, de estética e por que minha auto estima estava bem baixa.

Só usava batas bem largas, calças jeans não me cabiam, as pernas roçavam umas nas outras me deixando toda assada...

Várias amigas, meu pai, meu irmão, sempre me falavam que eu tava irreconhecível.

Amigos e pessoas que realmente te amam são aquelas que falam o que vc não quer ouvir na hora que vc mais precisa  ouvir.

As que dizem: Vc é linda de qualquer jeito, essas gostam de vc e querem te fazer sentir bem, mas não te amam.

O primeiro passo foi ir ao endócrino que por acaso é meu tio.

Pedi a ele uma fórmula mas sem essa doideira de sibutramina, e esses remédios que vc toma e engorda tudo depois.

Ele me manipulou uma fórmula para que eu fosse mais ao banheiro pois além de reter muito líquido eu também tenho, como  a maioria das mulheres dificuldade de fazer número 2.

Daí ele disse, aqui ta 40%, o resto é com vc, milagre não existe.

Na primeira semana pensei que ia enlouquecer.

Bebia 2 litros de coca cola por DIAAAAAA, comia pão praticamente todo dia, me enchia de fritura.

Larguei tudo na marra e fiz uma dieta a base de frutas, iogurtes, pão sírio, queijo branco e fui bemmmmmmmm radical, cortei cerveja, petisco final de semana.

Saía pra almoçar com meu pai e meu marido, eles comiam picanha e eu comia vento pq já tinha feito minha refeição de frutas, iogurte e barra de ceral.

O mais difícil são as duas primeiras semanas, você engrenar mesmo. Se você sobreviver a esse prazo, depois  começa e ver o resultado e se empolga.

Comecei a desinchar e nem acreditava que eu estava praticamente “esvaziando”.

Tomei a manipulação por 2 meses apenas, e os outros 3 foram de dieta, determinação, força de vontade e de foco no foco.

Comecei uma novela no facebook com o projeto #voltabinhagostosa (Binha é meu apelido).

As pessoas incentivavam, viam o resultado do meu esforço e eu comecei a motivar muita gente que não acreditava em si mesmo.

É o que eu falo, vc não será magra comendo feijoada, fast food, tomando chope todo final de semana e aí na segunda feira começa a fechar a boca de novo ou a tomar veneninho pra emagrecer.

Remédio é ilusão!!

Infelizmente não há milagre e emagrecer e manter só depende de nós mesmos.

Já tem um ano e meio que eu eliminei 21 kg.

Já tem uma ano e meio que não coloco uma gota de refirgerante na minha boca nem em festa de criança e olha, como eu tenho festa de criança para ir.

Já tem um ano e meio que eu não uso mais sutiã 46/48 e sim 44...

Já tem um ano e meio que meu manequim é 38 e eu tive que fazer ajuste em todo meu guarda roupa...

E a minha motivação para continuar mantendo e na luta contra a balança não são os elogios que eu ganho dos outros, os “fiu fiu” dos homens na rua, e sim eu me olhar no espelho e me reconhecer.

Ter filho não é justificativa para vc aceitar 21 kg a mais em vc.

É preciso amar se olhar, gostar de colocar aquela calcinha linda que não é “begiiiiiiiiiiiiiiiii” para o seu marido sem medo de parecer ridícula, é se amar vendo seu reflexo.

Há pessoas que se amam gordinhas, que se aceitam e eu acho isso o ximo.

Porém quem não esta satisfeito com seu corpo pode e deve começar a tentar dar o primeiro passo.

Foi o que eu fiz.

Sei que hoje com 34 anos não consigo mais emagrecer com a facilidade de quando tinha 22. Minha pele não é a mesma de antes mas graças a Deus não fiquei pelancuda.

Tenho flacidez na barriga, mas não fiquei com estrias e as celulites diminuíram muito mesmo.

Hoje não quero ter corpinho de mulher fruta, não quero ser boazuda, quero apenas vestir uma roupa e me sentir bem comigo.

Como de tudo e aprendi que a lei da compensação funciona e muito. Não dá para se ter tudo ao mesmo tempo na vida.

Se um dia vc tem o fast food, no outro vc tem a a maçã, o pão sírio e assim vai...

E é isso gatammmmmmmmmmmmmmm, de gorducha a Divaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa pq eu me amo e me acho linda !!

Esse papo de beleza interior é legal, masssss, infelizmente não é bem assim que a banda toca."
Ig: @binhuxa




 









segunda-feira, 22 de abril de 2013

CORRER COM ASSESSORIA








Resolvi fazer esse post há umas duas semanas, quando muita gente começou a me perguntar sobre meus treinos de corrida.

Corro há 10 anos. Quem acompanha o blog, sabe toda a história do porquê eu ter começado a correr. Quando comecei, eu não treinava com assessoria, nem ajuda na academia eu pedia. Eu comprava umas revistas, daquelas "corra 21km em 4 meses" e fazia os treinos. Óbvio que meus tempos eram um horror e não melhorava nunca. Foi aí, que uma amiga minha me chamou pra correr na Assessoria dela. Além do clima ser muito legal e você conhecer várias pessoas com objetivos semelhantes ao seu, a assessoria monta planilhas personalizadas de acordo com o seu nível físico. 

O meu rendimento mudou muito, emagreci e hoje a minha paixão é a corrida. Termino um treino com aquela sensação de missão cumprida, sabe? Endorfina a mil, não existe uma sensação melhor!

Então, pedi ao Miltinho, meu treinador, que respondesse às perguntas que mais ouço e as que acho mais importantes pra vocês entenderem a importância do papel do educador físico na corrida.


1) Qual a diferença entre correr sozinha e com a orientação de uma assessoria? 

A diferença básica consiste em ter um acompanhamento personalizado e profissional, assessorando os meios para chegar ao fim, correr melhor, correr preservando a integridade física.

2) Por que não correr com as planilhas que vêm em revistas? 

Porque elas são focadas em um grupo e na maioria das vezes, você não se enquadra neste grupo experimental.

3) Existem exames que devem ser feitos antes de iniciar a pratica da corrida?

Sim, principalmente o teste de esforço e o ergoespirometrico. O teste ergoespirométrico é um teste que fornece alguns parâmetros para serem utilizados no programa de treinos.
Em corredores, o teste em geral é realizado em esteira, e o avaliado coloca um analisador de gases na boca, que verificará as diferenças entre entrada e saída de O2 e CO2. O avaliado é submetido a um protocolo de esforço progressivo, onde em intervalos de tempos regulares há um incremento na intensidade, seja aumentando a velocidade ou a inclinação (o que não é o ideal). O teste deve prosseguir até o avaliado dar um sinal de que chegou ao seu limite.
Como dados importantes para a prescrição do treinamento, o teste fornece as velocidades e a freqüência cardíaca correspondentes ao limiar aeróbio, anaeróbio e VO2 máximo. Sem ele, a planilha de treino deixa de ser tão individualizada.


4) Qual a importância da musculação para quem corre? 

Manter a musculatura preparada para quaisquer modificações de treinos e auxiliar no reforço articular.

5) É certo que temos que alternar pares de tênis durante os treinamentos? E devemos ter um específico para provas? 

Sim, o tênis se molda ao formato do pé. O interessante é ter no mínimo dois pares de tênis. Se a condição econômica permitir, seria bom, mas não imprescindível!

6) Perder um treino na planilha vai fazer muita diferença no final do ciclo de treinamento? 

Depende do momento da periodização. Não há compensação de treino, principalmente no momento competitivo, ou seja, próxima da prova ou competição!

7) Beber água somente antes e depois do treino é suficiente? Qual é a quantidade recomendada?

A hidratação se faz necessária sempre. Não é recomendável a hidratação em demasia antes da prova, pois fatalmente precisará esvaziar a bexiga e comprometerá a sua prova. Depois da atividade, hidratação e durante a cada 30 minutos em média, 110 ml de água ou solução (bebidas isotônicas)!

8) Correr todos os dias. Certo ou errado?

Não há certo ou errado. Contudo um volume alto de exercício aeróbio lhe levará a perda de peso e com ela a degradação de massa magra. É humanamente impossível manter um peso corporal com tanto exercício aeróbio, mesmo com uma ingesta de carboidrato alta, além de possibilitar o surgimento de inflamação na fascia plantar e outros.

9) O que é mais recomendado: corrida antes ou depois da musculação? Existe alguma diferença nesta escolha?

Já existem artigos definindo isto, porém  é relativo afirmar, pois alguns treinam musculação visando hipertrofia muscular e correr para manutenção. Treino dos músculos inferiores, corrida leve, uma vez que eles já encontram-se fadigados, levando o corpo a um linha tênue para lesão! Recomendo prudência, mas se não tiver escolha, corra depois! Lembre-se o treinamento é uma tríade: descanso, alimentação e treino.

10) Uma pessoa que está acima do peso pode iniciar a prática da corrida? Quais os beneficios, se sim e contra-indicações? 

Claro, contudo esta pessoa necessita de alguns exames específicos para lhe dar aptidão à prática esportiva: níveis sanguíneos, pressão arterial etc. Cuidado extremo, pois o sobrepeso além de favorecer a alta da pressão, bem como o batimento cardíaco, sobrecarrega as articulações. Não faça uso exclusivo da corrida para emagrecer, procure um nutricionista paralelamente, pois quando atingir o peso ideal, se parar por algum motivo, lesão por exemplo, a probabilidade de voltar o sobrepeso é enorme, como consequência não correrá mais, alegando que não encontrou prazer na prática esportiva.






quinta-feira, 18 de abril de 2013

HIDRATAÇÃO E EXERCÍCIO FÍSICO




A água é essencial para o bom funcionamento do organismo em todos os seus aspectos; por isso, hidratar-se adequadamente é muito importante para quem deseja fazer uma atividade física saudável e ter boa performance.

A hidratação é indispensável em qualquer situação do nosso dia-a-dia, mas durante a prática de exercício físico ela se torna essencial. Durante o exercício, o corpo perde uma grande quantidade de água e alguns eletrólitos (sais minerais) pelo suor, com o objetivo principal de evitar o aumento excessivo da temperatura corporal.

A quantidade de suor vai depender de uma série de fatores, incluindo a temperatura ambiente, a umidade relativa do ar, a superfície corpórea e o grau de intensidade da atividade física, podendo em alguns casos chegar a uma perda maior que 1,5 litros por hora.

A ingestão inadequada de líquidos durante o exercício físico pode levar a um quadro de desidratação e em alguns casos a distúrbios eletrolíticos como a hiponatremia (quantidade baixa de sódio no sangue) que levam a uma queda de performance e risco de sérias complicações.

Fazer atividade física com roupas quentes para suar mais, achando que isso ajuda a emagrecer, na verdade, além de ser um conceito totalmente errado, aumenta o risco de desidratação, podendo gerar sérios problemas.

Na prática de esportes a hidratação deve começar com a ingestão de líquidos antes do início das atividades, sendo que em atividades mais intensas ou competições, é interessante a ingestão de cerca de 500 ml de líquidos de 2 a 3h antes, permitindo que o atleta inicie o exercício bem hidratado e que tenha tempo para que o organismo elimine quantidades excedentes. Durante a atividade física, devem ser ingeridos cerca de 400 a 1000 ml de líquidos por hora, através de pequenas doses a cada 15 a 20 minutos. O uso de bebidas esportivas como Gatorade pode diminuir o risco de hiponatremia por conter uma pequena quantidade de sódio.

Uma dica para descobrir se você está fazendo uma hidratação correta é pesar-se antes e depois da atividade física, não devendo haver uma grande variação entre as medidas.

A hidratação após o exercício também é muito importante sendo que a ingestão de líquidos deve ser feita independente da sensação de sede, pois o mecanismo que regula a sede pode estar um pouco prejudicado em condições de estresse, principalmente após a participação em alguns tipos de provas, como por exemplo, maratonas ou provas mais longas de triathlon.

www.marceloferreiranutri.com.br
Ig: marceloferreira1011


segunda-feira, 15 de abril de 2013

GENTE COMO A GENTE










 Gente, essa história da Karime, é pra ler 200 vezes. Ela é novinha, mas tem uma maturidade de mulher da minha idade. Em alguns trechos, sendo mãe, me coloquei muito no lugar da mãe dela. Ela fez cirurgia bariátrica. Eu já tinha lido a respeito, mas nunca conhecido alguém que tivesse feito. E quem quiser dizer :"Ah, mas ela emagreceu porque fez a cirurgia!", leia a história antes e se atente a TODOS os aspectos psicológicos antes de falar alguma coisa.



"Oi gente linda do blog da Debs! Tudo bem com vocês? Meu nome é Karime Goulart El Hamoui e agora dia 28 completo 20 anos. Bom, fui chamada pra participar do Gente como a Gente e vou contar minha história pra vocês. Quando eu tinha 8 anos de idade, tive uma infecção enorme no ouvido, e tive que fazer tratamento com corticoide. Resultado? Engordei. E não parei mais. Com 12 anos eu pesava 75kg. Com 15 estava com 83kg.

Aqui em casa sempre teve muita coisa boa. Mas a culpa, de maneira alguma, foi dos meus pais. A minha mãe fazia bolos, geleias, essas coisas. Nunca faltou fruta, nunca. Salada também. Mas eu não gostava. Eu comia bolo. Mas comia de café, de sobremesa, de lanche, de janta. Geléia eu nunca comi, não gosto muito. Eu comia errado mesmo. Minha mãe não comprava bolachas recheadas, não tinha essas coisas em casa. Eu comprava sozinha e escondida. Minha mãe sofreu muito com isso, tadinha.

Fiz acompanhamento com diversos endocrinologistas e nutricionistas aqui da minha cidade (moro em Cascavel – Paraná), desde que comecei a engordar. Mas era sempre aquela história, né? Emagrece 2kg e engorda 1kg. Eu não tinha continuidade no tratamento. E eu era muito novinha. Então pra mim era MUITO complicado abrir mão de todas aquelas coisas gostosas (que hoje não como) que as crianças e outros amigos comiam na escola. A minha mãe, coitada, foi chamada na escola uma vez porque eu comia o lanche dos outros colegas (mais o meu), olha a fase e a vergonha! Eu chegava a comer dois pacotes de bolacha recheada por dia, comia barras de chocolate, fritura, tudo, tudo errado. E não, eu não comia salada.

E exercício físico? Quando criança, até uns 15 anos eu não era sedentária. Estava sempre me movimentando e fazendo esportes no colégio. Com 15 anos eu parei. Empaquei. Aconteceram algumas coisas comigo no colégio, uma humilhação, digamos assim, por parte do garoto que eu gostava e dos amigos dele, então eu fiquei muito, muito mal, e acabei entrando em depressão, com 15 anos de idade. O que resultou em sedentarismo. Eu não saía, eu só queria ficar em casa, vendo TV , na internet, porque era meu refúgio, ninguém me conhecia de verdade e ninguém sabia da minha história. Até hoje tomo medicamentos por causa disso.

Em abril de 2009, eu tive que retirar o apêndice. Nessa época eu estava com meus 83kg. E meu pai é médico, e então sempre vivi cercada por médicos, e todos me alertando que eu deveria cuidar da minha saúde. Eu nunca ouvi. Fiz a cirurgia, até aí tudo bem. Depois da cirurgia eu engordei 10kg em 8 meses. Em dezembro do mesmo ano, minha pressão subiu pra 16x10, meus triglicérides estavam em quase 400, eu estava tomando remédio pra diabetes porque estava pré-diabética. Eu, com 18 anos, pesava 93kg.

Em fevereiro de 2011, meus pais me mandaram pra um SPA, bem simples, em Curitiba. Fiquei uma semana lá. Fiz tudo certo e adorei. Perdi 5kg. A ideia era continuar em casa, né? Não rolou. A única coisa de boa que trouxe como ensinamento até hoje do SPA, é não tomar mais refrigerante. Fazem 3 anos que eu não tomo refri. E não sinto falta. Eu consegui me manter em 92kg, mas eu tinha crises, de tempo em tempo...

A gota d’agua, não só pra mim, mas para os meus pais, foi um dia que não gosto nem muito de lembrar e na verdade, nunca compartilhei com ninguém. Eu ia entrar no banho, e quando tirei a roupa, me olhei no espelho. Eu só conseguia chorar. Fiquei uns 5 minutos chorando na frente do espelho, e minha mãe chegou e me viu naquela cena. Eu estava acabada. Eu gritava e queria, literalmente, pegar uma faca e cortar fora minha barriga, minhas coxas, braços... Minha mãe chorava mais que eu. Acredito que minha mãe tenha sofrido tanto quanto eu por me ver do jeito que eu estava. Quando meu pai chegou, minha mãe contou pra ele e ele ligou direto pra um médico gastro, amigo da família e no outro dia eu já fui consultar, junto com meus pais.

A ideia era usar um balão gástrico. Um balão de silicone é colocado dentro do estômago, o que cria a sensação de que o estômago está maior, mas só pode ser usado por no máximo 6 meses e pode voltar todo o peso perdido rapidamente, sem contar nos efeitos colaterais, porque muita gente não se adapta com o corpo estranho dentro do corpo. Saí de lá com a ideia do balão. Vim pra casa e comecei a pesquisar. Cheguei na tão polêmica Cirurgia  Bariátrica (s2 s2). Conversei com meu pai, disse que tinha medo de me frustrar colocando o balão e depois voltando tudo, porque depois de tantos tratamentos sem sucesso eu só queria algo que desse certo. Daí meu pai comentou da cirurgia. E eu falei que li, que me interessei, que queria ir consultar de novo pra ver sobre a cirurgia. No outro dia, estava eu e meus pais lá de novo consultando.

Fui encaminhada para o outro médico, o gastro cirurgião, que me explicou tudo detalhadamente. Me disse que eu tinha todas as indicações necessárias (obesidade, IMC alto, pré diabetes, triglicérides) e me encaminhou para a nutricionista, psicóloga, cardiologista, psiquiatra. Eu precisava fazer tratamento e exames com esses especialistas antes. Quando todos me liberaram pra cirurgia, marquei. Pro dia 27 de junho de 2011. Fiz Sleeve Gástrico, só retiraram um pedaço do estômago, o intestino fica intacto. E o melhor? A Unimed cobriu TUDINHO. Não paguei nada. Mas depois gastei o dinheiro renovando guarda roupa, porque né... Hahahahah

Me operei e correu tudo melhor que o esperado. Eu só senti dor no dia da cirurgia, que sofri mesmo, não minto, doeu MUITO. Mas no outro dia eu já não sentia mais nada. Já podia tomar água, chá e água de coco, de hora em hora, 10 copos por dia. No terceiro dia, tomei 20 copos por dia, de 30 em 30min. E nós próximos 20 dias, tomei 40 copos por dia, começando as 9h da manhã e terminando por volta das 21h, 22h. Os copos, nos 20 dias eram suco de gelatina diet, batida de leite de soja com um pedaço de fruta, suco de fruta natural, chá, gatorade, caldo no almoço e na janta, e três suplementos pra eu não ficar muito fraca. Detalhe: nos primeiros cinco dias, é tudo coado no pano de prato. Nos 10 seguintes, na peneira. E nos últimos 5, sem coar. Depois disso comecei a comer devagar.

Eu nunca passei mal. Nunca vomitei. Nunca tive dumping (é quando entala a comida), nunca tive deficiência de nenhum nutriente, consigo comer carne, consigo tomar água, tudo. Até agora, com quase 2 anos de cirurgia, não comi nada que tenha me feito mal. Ufa!!!

Hoje, faltam 4kg pra eu chegar na minha meta. A do médico já foi atingida. Agora, exatamente dois anos depois da redução, dia 27 de junho de 2013, vou fazer as cirurgias plásticas reparadoras. No momento, estou com alimentação regrada, e exercícios físicos todos os dias. Seg qua e sex, vou pra academia. Terça e quinta de manhã eu corro, e a noite tenho muay thai! Quando eu fizer a plástica, aí sim vou fazer dieta pra conseguir hipertrofiar e definir um pouco.

Essa é a minha história. Teve muita gente envolvida, muita gente que me ajudou, me apoiou. E hoje as pessoas que me fizeram mal no passado, querem ser minhas amigas (mas eu não quero ser delas!). Hoje eu tenho um namorado lindo, amigos que desde antes estavam comigo e ainda continuam, uma família maravilhosa que eu amo mais que tudo e muita, muita saúde!!!! Desculpem se eu escrevi demais, gente. Me empolgo!!! Hahahah

Pra quem quiser me seguir, meu instagram é @khamoui e meu face é http://www.facebook.com/karimehamoui =)
Beijo e obrigada pra quem leu minha história!!!"







quarta-feira, 10 de abril de 2013

terça-feira, 9 de abril de 2013

APPS QUE EU AMO PARTE I

Muita gente pergunta sobre os apps que eu uso no Instagram. Na verdade, sou uma apaixonada por fotos. Quando fui fazer o site do nosso casamento, tinha tanta foto que foi difícil decidir quais colocar. 

E pra quem tem Iphone, a quantidade de Apps é um mundo! Então, vou falar dos que tenho e dos que mais uso, porque alguns, acabam sendo bem parecidos. Um em cada post, senão fica muito longo! rs Vou dando as dicas devagar,ok?



Usei nessa foto o FotoRus e o TextsOnPhoto


Essa foto aí de cima foi feita num aplicativo chamado FotoRus (gratuito na App store!). O que eu gosto nele, é que tem varias "funções"num app só. A que eu uso mais é a COLLAGE, onde você pode juntar até 10 fotos para fazer uma montagem. Ele te dá a opção de você mesmo montar sua colagem, ou váárias molduras diferentes. Além disso, você pode mudar a borda das fotos e o plano de fundo sobre o qual a colagem fica.

Depois que a colagem está pronta, ele te dá a opção, assim como no Instagram, de trabalhar a cor das fotos. Nessa minha, as fotos eram coloridas originalmente, mas fiz P&B.

Pra escrever, usei o TextsOnPhoto, mas sobre ele explico num próximo post! Ele é bem tranquilo de aprender, pra quem já quiser baixar. E a versão "lite" é de gratuita também!


Tela Inicial

Escolhendo as fotos

Organização, molduras, tipo de colagem

Efeitos nas fotos

DESPERTADOR MOTIVACIONAL

Olha, juro que não sei como fiz isso! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk  Quem me acompanha no Instagram sabe que faço os despertadores motivacionais, mas ontem, com o fabio viajando, saiu uma música! kkkkkkkkkkkkkk Pra evitar plágio já gravei logo no youtube! kkkkkikkkkkk

Que fique bem claro que foi a primeira e última vez!


segunda-feira, 8 de abril de 2013

GENTE COMO A GENTE







Conheci a Debora pelo Instagram, quando (acho eu) não tinha nem 1000 seguidoras. Ela é daquelas seguidoras ativas, que comenta e curte todas as fotos, que você sente falta quando ela some! A história dela serve de inspiração pra todo mundo, mas, principalmente pras meninas que estão grávidas, que tiveram babies ou que querem ser mães.

A gravidez não é fácil gente… Quando eu estava grávida, eu falava pras minhas amigas: “a coisa mais fácil do mundo é você engordar 20kg numa gravidez, porque tem horas que dá vontade de comer como se não houvesse amanhã”. E o processo de volta à forma (porque ao peso você às vezes volta em 3 meses) é muito complicado. Porque, a não ser que você tenha babá, folguista – que não foi o nosso caso- a rotina muda demais, então o desânimo bate mesmo…

Mas aí está mais uma prova que disciplina, foco e determinação são os fatores determinantes pro sucesso de qualquer coisa que você queira na vida!

"Ebaaa! Chegou o dia do meu depoimento rsrs.

Meu nome é Débora, tenho 29 anos, 1,65m e consegui chegar aos 59 kg! Aleluiaaaaaaaa!! Perdi no total 28,500 ( em quase 12 meses, que é a idade do meu bebê, mas a mudança radical é de setembro até agora) ainda faltam 3.

No momento sou mãe em tempo integral do Davi (ano que vem volto a ser Estudante de Farmácia).

Na gestação do meu filho, engordei muito, 17 kg!!!! Antes da gestação estava acima do peso e tentando emagrecer para poder engravidar, mas ele resolveu vir antes. Sempre sofri do efeito sanfona, pois até então não sabia a “fórmula” secreta e super simples de emagrecer e manter o peso, que nada mais é do que alimentação saudável e exercicioooo!

Nunca fui fã de porcarias, mas beliscava e muito entre as refeições, e não tomo refrigerante há quase 8 anos. O que me levou a tomar vergonha na cara literalmente foi ver o quanto eu estava imensa nas fotos. Depois que ele nasceu, 10 quilos foram embora em duas semanas, mas depois eu e o meu peso estacionamos legal. Depois de 5 meses que ele nasceu, meu marido comprou uma balança com bioimpedância. Ela me mostrou a minha triste verdade e com um tapa na cara que ela me deu, eu cai na real e comecei a me mexer!

Não aceitava ficar baranga, jamais! Sou muito vaidosa e aquele espírito de gordinha não me pertencia! Passei a me exercitar em casa com o elíptico que ganhei do maridão, pois com um bebê pequeno não tinha como ir até a academia, perdi peso, medidas e ganhei ânimo!!!

Fazia com o meu bebê dormindo no carrinho e ás vezes ou acordado no cercadinho. Me viro como posso, fazendo exercício localizado em casa, abdominais e com ele em volta de mim brincando e pulando na mamãe.

Desculpa que não tem tempo, não cola, quem quer arruma Agora consigo ir na academia 2 vezes na semana e corro 2 vezes na rua. Estou 13 quilos mais magra de quando engravidei. Mudei totalmente minha alimentação, e como ainda amamento, não posso fazer nada radical. Agora esse é o meu estilo de vida, é o quero, ficar linda, magra e com uma bunda de banda de coco rsrs! E a caneleira está aqui no meu tornozelo grudada já!!!"

Ig: debora_ferreira


Aos 9 meses!






Atual!!!







segunda-feira, 1 de abril de 2013

GENTE COMO A GENTE









Essa é mais uma história inspiradora. Cada vez mais eu vejo como existem meninas, novas, com sobrepeso, que estão se dando conta que qualidade de vida é uma coisa essencial pro futuro! Conheci a Thays pelo Instagram e achei a história dela demais!!! Imagina uma MENINA de 19 anos que chegou aos 90 kg e não colocava regata de vergonha dos braços? É... para se pensar. Com vocês, a história da Thays!

"Entãoooo, eu sou a Thays, tenho 19 anos (só kk), estudo o 5º periodo engenharia de produção, e no momento não trabalho, já que a minha faculdade é quase sempre no período da manhã e a tarde.

Bom... Toooda a minha vida eu fui gordinha, aquela criança redondinha que todo mundo quer apertar mas nao fica mais que 5 min no colo kkkkk. Meus pais sempre me incentivaram, me levavam em nutricionista, me matriculavam em vários tipos de esportes, mas eu nunca realmente QUIS emagrecer. Queria ser magra, mas não queria pagar o preço, sabe? E o efeito sanfona tomava conta de mim kkk, fazia uma dietinha de revista, emagrecia, achava que estava 'bom' e voltava a comer tudo de novo... 

Óbvio que isso nunca dava certo, aí em 2012, em janeiro, com 90kg (1,60m) tinha uma viagem marcada, e CLARO, queria dar uma emagrecida pra 'ficar bem na foto', óbvio, qualidade de vida, auto estima também, porque nessa época eu ja não usava regata. Podia tá o calor dos infernos, NÃO usava mesmooooo, já estava me privando de 'socializar' com os amigos, porque era horrível achar roupa. 

Enfim, dessa vez, eu resolvi partir pras 'trocas inteligentes': cortar farinha branca, aderir aos integrais, cortar açúcar branco, comer mais frutas, comer de 3 em 3 horas, tomar bastante água. Seria muito mais dificil eu desistir, fui emagrecendo e isso se tornou REALMENTE um estilo de vida. Tanto que no cruzeiro, com tanta gordice, eu consegui manter legal a alimentação saudável, sem comer com os olhos, treinei lá todos os dias, e, quando cheguei em casa, na semana de viagem, tinha perdido mais 2kg.. 

Isso só serviu pra me motivar e continuar... E em 9 meses consegui eliminar, ELIMINAR, (pq quem perde acha kk ) os 30kg... É claro que ao longo de todo o período de emagrecimento e até hoje eu tive/tenho muitas dificuldades, como por exemplo, até hoje, depois de 1 ano e 3 meses, não consegui fazer meus pais mudarem a alimentação. Eles continuam adeptos as bolachas recheadas, chocolates, refrigerantes, quase todos os dias, agora eu já não me incomodo muito, mas no começo é MUITO complicado... Afinal, sou um ser humano como qualquer outro, mas me considero uma pessoa muito focada e disciplinada, não só com relação ao corpo, mas com tudo que me proponho a fazer.

Hoje, há 9 meses conto com o auxilio de um Fisiologista especializado em Nutrição Esportiva, que está me ajudando MUITO a chegar no meu objetivo, o que eu considero MUITO importante. Agora o meu foco é o percentual de gordura, que pretendo baixar muito. Não tenho em mente um número fixo, eu SÓ quero um sixpack kkkk SÓ, básico kkkkkk.

O segredo pro sucesso na dieta (na minha opinião) é aderir como o seu estilo de vida, ter em mente uma meta ALCANÇÁVEL, e claro, organizar seus horários, refeições, assim fica bem mais dificil arrumar desculpas pra sair dela. 

Uma parte de um texto do Dr. Drauzio Varella que gosto muito e que é muito verdade, fala assim: 'Se você é daquelas pessoas que esperam sentir disposição para praticar exercício, não perca tempo; ela jamais virá. Pode ser que dê o ar da graça num domingo, na praia, num sítio, mas, no dia-a-dia, esqueça: a natureza humana é sedentária. Para fazer exercício com regularidade, é preciso disciplina militar: acordar mais cedo, cumprir horários, não depender dos outros.

Se você é daquelas pessoas chegadas à autocomiseração (“pobre de mim, onde vou achar tempo”), saiba que isso é problema seu. Ou você acha que alguém o resolverá por você? Que alguém lhe dirá: como recompensa por você ser mãe dedicada ou pai responsável, exemplar no trabalho, vamos lhe reservar uma hora por dia para atividade física? Se você tiver mesmo tais qualidades, é mais provável que lhe roubem uma hora a mais de seu tempo já exíguo.
Para quem leva uma vida dura, que realmente não deixa espaço para o exercício metódico, regular, a única saída é incorporá-lo às atividades diárias. Pare o carro mais longe, vá a pé. Em vez de pedir para os outros, levante da cadeira e vá buscar. Carregue peso. Sempre existe uma escadaria por perto, e subir escadas é um exercício maravilhoso.' 
Ficou um pouco grande né? auhauhau Desculpa sempre me empolgo... Obrigada mesmo pela oportunidade Debs, espero que eu possa ajudar muitas outras pessoas a se 'libertarem' de tudo isso... E você, tenha certeza, que faz isso diariamente! 
Beijos e obrigadaaaaa #tamo junta kkk "

Ig: @thayscleiry